domingo, 3 de setembro de 2017

Sentirmos -nos-ei


Sinto que meus pés irão perder o sentido de caminhar por algum tempo.

Sinto as palavras saltarem de mim sem comprometimento com uma noção de serem, apenas deslizam pelo encantamento e forma as coisas que nunca antes acreditei possuir.

Meu punho se desliza e costumeiramente meus dedos tocam o dedilhar das teclas que insistem em seu tilintar de sons desconexos.

Os sons penetram em meus ouvidos e sinto lá em meus profundos, o sentir das coisas.

Percorro com meus dedos as paredes manchadas, cores se apresentam meu globo, cheiros, fumaças, sozinho e não sei para qual cômodo vou.

Tenho tudo sobre controle, que nada, tenha nada absolutamente nada sobre o meu controle, controle que pesa, desconecta, desapega, inconstante.

Perguntas saem de minha boca profanando o imundo, o inaudível, o incontestável, cale a boca seu imundo, fique na sua, tenho tudo sobre meu controle, vozes, sonoras, musicas, detido, sentindo pena de mim mesmo, sem noção, numa boa!

Sinto meus sentidos se perderem, não penso, não crio, não sinto, apenas vazio, vagabundando, meditando, cuidando de quem? 

Raiva, grito porque calo os calos, me calo.E então amaldiçoo, respiro, calunio. 

Meus sentidos se perdem, ao longe longos sussurros, palavras, grito, repito, sussurros, ahhhh, vento, almejo, sentimento, caos.

Tento sonar as palavras, mas estou longe.

Estou longe de tudo. 

sábado, 12 de maio de 2012

Dilacero-me



 

Meu coração se amordaça calando-me.

 

Falta-me o ar...

Minhas mãos tremulam, minha respiração ofega-se e perco os sentidos...

Meus olhos se perdem nas incertezas do mundo..

E onde eu estou?

Fui sugado pelas minhas incompreensões

Pela minha constante necessidade de ferir,

E feri, magoei e chorei por isso...

Pensei só em mim?

Rasguei-me dilacerado...

E tudo não será mais como antes...

Sei disso...

Devo então seguir...

E tentar apagar as minhas memórias, minhas indagações, meu passado e meu destino

E sim, eu voltei...

Mas ainda estou espalhado pelo chão.


 


 

quinta-feira, 31 de março de 2011

Mesmo Assim


MESMO ASSIM

As pessoas são irracionais, ilógicas e egocêntricas.
Ame-as MESMO ASSIM.

Se você tem sucesso em suas realizações,
ganhará falsos amigos e verdadeiros inimigos.
Tenha sucesso MESMO ASSIM.

O bem que você faz será esquecido amanhã.
Faça o bem MESMO ASSIM.

A honestidade e a franqueza o tornam vulnerável.
Seja honesto MESMO ASSIM.

Aquilo que você levou anos para construir,
pode ser destruído de um dia para o outro.
Construa MESMO ASSIM.

Os pobres têm verdadeiramente necessidade de ajuda,
mas alguns deles podem atacá-lo se você os ajudar.
Ajude-os MESMO ASSIM.

Se você der ao mundo e aos outros o melhor de si mesmo,
você corre o risco de se machucar.
Dê o que você tem de melhor MESMO ASSIM.

Madre Tereza de Calcutá.


E ainda acrescento com toda a liberdade:

Estas longe,

Não presta atenção no que fazes a mim,

Não chamas para um encontro,

Chamas outros,

Sais com todos,

E comigo?

Mesmo assim:

Continuo amando, mesmo esperando sempre algo diferente, mesmo sabendo que não podes me dar agora, mesmo conhecendo-te, mesmo assim estou doando, estou acreditando, estou tentando fazer parte, mas tenho certeza que se for pra ser, assim será. Mesmo assim, prestes atenção, porque o que foi lhe dado, poderá lhe ser tirado se não prestares atenção.


domingo, 6 de fevereiro de 2011

Mudanças


Mudar.

Por que é tão difícil aceitarmos algumas coisas em nossas vidas?

Coisas que não gostamos, sabemos que não estão fazendo bem a gente, de uma forma ou de outra, e simplesmente não fazemos nada, absolutamente nada para tentarmos, eu disse, tentarmos modificá-las.

O fato é o seguinte:

Estou desempregado a 5 meses aproximadamente, desde Setembro de 2010 que estou como meu melhor amigo diz: “No seu ano sabático”. O fato mais intrigante foi o fato de poder ajudar as pessoas que amo neste momento, exatamente porque, neste ínterim providenciei a mudança da minha avó para perto de onde moramos, exatamente porque ela, minha avó não esta mais dando conta de ficar sozinha, mas ainda quer morar em um apartamento que seja “dela” de alguma forma, e desde Setembro estou possibilitando isso a ela.

Mas esse nem é o ponto, só escrever para contextualizar.

Quando estamos diante de algo em nossas vidas, digo isso em qualquer campo dela, fingimos que estamos vendo, fingimos que estamos sentindo-a. Apenas fingimos, digo isso, porque nossa tendência por tudo o que venhamos passando ao longo dos tempos nos remete a isso, é uma naturalidade, uma necessidade de defesa, e isso por que? Porque somos humanos, dotados de tal peculiaridade porque temos medo de arriscar, temos medo do desconhecido, isso para algumas pessoas se chama Zona de Conforto, ou seja, é melhor estarmos do jeito que estamos do que sofrer pela mudança. E é exatamente por isso que estou passando, não penso em terminar o meu namoro, e nem muito menos mudar a minha área profissional, pelo menos por enquanto, o que quero dizer é, achamos que estamos preparados para vivermos, e certamente que sim, é claro, mas sempre nos sentimos perdidos, tentamos até passar pela indiferença, mas sempre sua voz interna lhe diz: “O que você esta esperando?” – seja para qualquer área da sua vida.

Esperamos que o outro nos diga o que é melhor fazermos em nossas vidas, e o que o outro sabe de você? O que ele pode fazer sobre os seus sonhos, desejos, inspirações? Eu digo: NADA. Não existe ninguém que possa lhe dizer o que fazer, ou até mesmo de que forma fazer e ser.

Mas digo-lhes uma coisa que todos nós já sabemos desde os primórdios dos tempos: Somente você pode decidir a sua vida, ser ou não ser, não é a questão e nem será, mesmo que Sócrates tenha dito isso a milênios atrás. Você é o que é e ponto. Para de brigar consigo mesmo, tentando dizer ou ser diferente daquilo que você é realmente, seja tolo, burro, se sinta imbecil, e claro, continue sua caminhada, porque só você pode trilhar o seu caminho, e tenho certeza absoluta que se descobrir algo, será a descoberta mais incrível de sua vida, de nossas vidas, digo isso mais a mim do que para qualquer pessoa.

Então continue...

E perceberá que o mundo esta a seu favor. Basta acreditar!

Porque: “Viver Ultrapassa Qualquer Entendimento” – Clarice Lispector.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Amor, Meu Grande Amor

O que significa esse sentimento?
Dilacera e ao meu tempo nos impulsiona...
Arrebata, te põem nas nuvens...
E ao mesmo tempo te joga no chão...
E embora todos os sentimentos provém dele...
Achamos que tudo não passa de um sonho...
Um sonho vivido harmoniosamente...
Um sonho real que passamos, a cada história compartilhada, a cada olhar..
E um dia, você sabe, quando tudo começa acontecer sem que perceba...
Sem que note que aos poucos esse sentimento toma conta...
Te arrebata... te joga no chão...te leva pras nuvens..
Te inspira...respira...
E claro que dá uma vontade louca de correr...
Sair e não voltar...
Só pelo fato de poder acontecer...
De não ser correspondido...
Risco, suicídio?
Que nada....
Amor, meu grande amor!